Blog sobre dicas de esmaltes e cuidados com mãos, pés e unhas.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Pirulito Língua Azul :: Risqué

Oi, meninãs!

Eu fui à lojinha ver de pertinho a coleção nova da Risqué, e acabei trazendo comigo só esse azulindo que não tinha como não comprar! Pirulito Língua Azul, adorei esse nome hahaha!

Usei duas camadas, mas se caprichar, dá pra fechar a esmaltação com uma só. Mira a lindeza:



Secagem turbo-fast, incrível! O único contra que encontrei nesse esmalte foi o pouco brilho, sendo imprescindível o uso de extra brilho no fim da esmaltação. Mas fotografei sem extra brilho mesmo, sou do contra haha!

Ah, amei! Quem não ama um azul assim, né? 

Ai, ai! Fim de semana é natal, preciso criar algo nas unhas! *pensa*

xoxo
1

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

domingo, 18 de dezembro de 2016

Dicas para o seu esmalte durar mais nas férias!

Olá, meninas!

Estamos em dezembro, pertinho do Natal, e enfim chegaram as tão esperadas férias! Você sabe que o esmalte faz toda a diferença na hora de compor um look, então abuse: use o vermelho para ousar, tons escuros para dar sobriedade, nude para trazer mais elegância, rosa para um ar mais romântico... vale tudo! Só não vale ficar com a unha descascada. Aí, seu visual passa do estiloso para desleixado.

E aí vem a pergunta: "como fazer o esmalte durar nas unhas sem meu kit manicure"?!

Para você não correr o risco de chegar diva na praia e voltar despencada pra casa, aposte nessas dicas para o esmalte ganhar aderência nas unhas. Eu recomendo esmaltes que contém queratina, que ajuda ainda no fortalecimento, e deixa suas unhas mais saudáveis e resistentes!


Vamos lá?!

1. Suas unhas também sairão de férias, então, merecem um cuidado especial, não é? Use aquelas luvas hidratantes que várias marcas já nos disponibilizaram! Elas hidratam e condicionam muito as unhas!

2. Sua unha deve estar bem limpinha para receber o esmalte. Eu costumo lavar muito bem as mãos, com água e sabonete, e passar removedor de esmaltes nas unhas antes da aplicação: ele consegue limpar bem, além de deixar a unha bem sequinha, pois evapora rápido.

3. Agora você vai lixar as unhas, tanto nas pontinhas para arrumar o formato e/ou tirar comprimento, como na superfície, para ela ganhar porosidade. Mas cuidado: a superfície não pode ser lixada de qualquer forma, tem que ser bem de leve! Ficando um pouco porosa, o esmalte fica melhor 'preso' na unha.

4. Hora de passar o esmalte! Só que não: passe a base antes. É muito importante o uso da base, pois além dela proteger sua unha do esmalte, ela funciona como um primer, segurando o esmalte na unha!

5. Agora sim podemos passar o esmalte. E a dica aqui é: escolha um esmalte que esteja relativamente novo e que não seja daqueles difíceis de passar, como esmaltes em tom pastel que pedem três~quatro camadas e enchem as unhas de bolinhas. Esses são péssimos para deixar por vários dias.

6. Normalmente os esmaltes pedem duas camadas, e a dica é: deixe secara cada camada antes de passar a próxima. Isso vale a partir da base! Secou a base? Passa a primeira camada do esmalte. Secou a primeira camada? Passa a segunda. Secou a segunda? Passa o top coat. É claro que as camadas não secam completamente, mas sabe aquela secada que dá pra bater o dedo e sentir que secou? É isso.

7. Eu já disse ali em cima, mas repetindo: use um top coat. Eu recomendo o roxinho da Impala, o roxinho da Avon, ou os extra-brilhos da Ideal. São meus preferidos pra sempre!

8. E a última dica: leve o top coat pra passar durante a semana e manter o brilho das unhas! Afinal, não adianta as unhas estarem coloridas e sem aquele brilho, né?

---
Mais alguma dica? Deixa aqui nos comentários!

xoxo
0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Nós Amamos Esmaltes :: Blant Colors

Já que o metalizado é um dos acabamentos que vai bombar no verão, já vou deixar uma dica por aqui!

O Nós Amamos Esmaltes vem da coleção Blogs do Cerrado, que homenageou blogs de Goiânia e Brasília. Faltou homegagear os blogs do MS e do MT também, Blant! Nós existimos haha!

Enfim, ele pode ser classificado como vermelho gloss, vermelho cromado, vermelho metalizado... o que vocês quiserem! O que ímporta é usar, porque é um dos vermelhos mais lindos que conheço! Mira:




É isso, espero que tenham gostado!

xoxo
0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Os tons de esmaltes que vão bombar no verão 2017

O verão é um das épocas mais esperadas do ano por muita gente.

Seja pelas cores, pelo sol ou pelo calor, a questão é que a estação pede uma moda própria.

Além de roupas, sapatos e acessórios de cabelo, as unhas também têm sua importância na hora de montar o look.

Pensando nisso, a Singu, aplicativo de beleza e bem-estar que conecta profissionais do ramo à usuários, adiantou quais serão as cores de esmaltes para arrasar no verão 2017.

NUDE


Sim, a cor continuará em alta durante toda a estação.

Para quem não sabe, é aquele esmalte que se assemelha ao tom da pele, podendo variar entre rosados e marrons.

O nude demonstra sofisticação e leveza, além de combinar com qualquer roupa ou ocasião. (Eu amo!)

METALIZADO


Senão a principal, uma das tendências da moda verão desse ano.

Eles podem ser encontrados em várias tonalidades e combinados com outras peças metalizadas, como sapatos e bolsas.

A cor é marcada por destacar aos mãos, chamando a atenção para elas e a cor prata é considerada o coringa da estação.

CANDY COLORS


A tendência já vista anteriormente voltará com força na próxima estação e, para muitos, é a opção que mais tem a cara do verão.

As cores, que vão do pastel até o neon, combinam muito bem entre si.

O rosa e o azul são os mais procurados.

--
E aí, você concorda? Conta aí!

0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

domingo, 11 de dezembro de 2016

Aroma Zone lança esmaltes vegetais ecológicos

A Aroma Zone, marca francesa de aromaterapia e cosméticos naturais, quer revolucionar o universo dos esmaltes de unhas, oferecendo produtos fabricados com 85% de ingredientes orgânicos e garantia "6-free" (sem tolueno, formaldeído, ftalatos, cânfora sintética, colofônia e xileno). Os novos esmaltes apresentam as mesmas características de durabilidade, cobertura, aplicação e conservação que os esmaltes tradicionais, e estão disponíveis na versão "pronto para uso" ou "faça você mesma".


Diante da incessante demanda das consumidoras por produtos de maquiagem de origem vegetal e por um maior controle dos ingredientes, a marca francesa Aroma Zone, porta-estandarte de um estilo de vida natural e de propostas "faça você mesmo", desenvolveu uma linha de esmaltes à base de solventes e pigmentos vegetais derivados da biomassa. Totalmente vegana, a linha de produtos exclui todos os componentes considerados problemáticos pelas consumidoras mais intransigentes: tolueno, formaldeído, ftalatos, cânfora sintética, colofônia e xileno.

Trigo, mandioca e rabanete

Os solventes tradicionais foram substituídos por uma base de origem vegetal derivada de batata, mandioca, milho e trigo. No início do processo, os componentes se transformam em alcoóis mediante fermentação. Em seguida, por meio de métodos de química verde, os alcoóis são transformados em solventes.

Os esmaltes da nova linha de produtos são também os primeiros fabricados exclusivamente com pigmentos vegetais. Os pigmentos sintéticos, minerais ou derivados de cochonilha foram substituídos por pigmentos extraídos de rabanete vermelho, batata-doce-amarela e bagas de sabugueiro, produzindo diversas tonalidades de vermelho e rosa. Os tons azuis são obtidos a partir de extrato de spirulina, alga microscópica rica em ficocianina e com excelentes propriedades antioxidantes.

A linha de produtos reúne sete cores "clássicas", com um leque de tonalidades que vai de bege a ameixa, além de uma base/top coat. A previsão é que em breve a marca lance novas cores. Inteiramente fabricados na França, os produtos serão comercializados a partir de janeiro de 2017, custando entre 2,90 euro a 3,50 euro o frasco de 6 ml.

Vegetal e personalizável

A partir dessa inovação, a Aroma Zone decidiu dar à consumidora a possibilidade de fabricar em casa seu próprio esmalte vegetal, o que oferece todas as vantagens de uma criação personalizada. Extremamente simples, a fórmula pode ser fabricada e misturada em cinco minutos, com os mesmos solventes e pigmentos vegetais do produto pronto, podendo também incorporar pigmentos minerais para produzir efeitos cintilantes, perolados ou iridescentes.

Cada elemento é vendido separadamente, fazendo com que um frasco de esmalte custe cerca de 1,2 euro. A fabricação requer, como equipamento, uma balança de precisão, uma pipeta graduada, um minibatedor e uma vasilha. Cabe à consumidora acrescentar uma dose de disposição e paciência para compor a fórmula natural.

0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

sábado, 10 de dezembro de 2016

Cinco soluções para manter as unhas saudáveis

Assim como o cabelo, as unhas são o espelho do que anda acontecendo no nosso corpo. Mas, mesmo com essa função, muita gente reluta em ir ao médico para resolver algum problema sinalizado por elas. A dermatologista Valéria Marcondes participou recentemente do nosso Facebook Live onde respondeu às principais dúvidas sobre o assunto e, a seguir, confira uma seleção com as questões mais recorrentes.


Minhas unhas quebram muito facilmente. Como posso fortalecê-las?
O primeiro passo é encontrar o motivo, que pode ser tanto interno quanto externo.  No primeiro caso, pode estar relacionado com má alimentação e dificuldade de absorção de proteínas. Já no segundo, o problema muitas vezes é decorrente de esmaltes com tolueno ou formaldeído, substâncias com alto índice alergênico.
A solução: Se a causa for interna, é preciso caprichar na dieta, incluindo proteínas magras, folhas verde-escuras e alimentos ricos em aminoácidos, como peixes e ovos. Suplementos à base de biotina, zinco e levedo de cerveja são ótimos aliados.
De fora para dentro, uma boa saída é usar uma mistura de 3 gotas de óleo de cravo com 3 gotas de óleo de argan no lugar da base.

Há manchas brancas nas unhas dos meus pés. Devo me preocupar?
Se forem longitudinais (que seguem o sentido do comprimento), não. Essas marcas, geralmente, ficam na matriz da unha e podem aparecer quando há algum tipo de trauma antes de ela nascer, como cirurgias, hipotireodismo e anemia. Daí elas crescem saudáveis, porém com essas manchas.
A solução: Hidratar, pelo menos, duas vezes ao dia, com produtos específicos. Além disso, é importante não agredir a unha afetada, não lixar excessivamente, nem remover muita cutícula para não danificar novamente a matriz.

Qual o jeito certo de esterilizar as ferramentas de manicure?
É importante ressaltar que, ao fazer a unha, muitas vezes há microcortes e pequenos machucados que sangram e podem transmitir micoses, fungos, vírus e bactérias através dos acessórios não higienizados. Por isso, a esterilização é tão importante.
A solução: A profissional precisa ter um Autoclave (aparelho específico para esterilização) onde os alicates, palitos e espátulas são colocados, já lavados e secos. Quem tem o próprio kit, pode usar álcool a 70 graus ou 1 colher de sopa de água sanitária diluída em 1 copo d´água para limpá-los.

Minha unha descama muito, mesmo com esmalte antialérgico. O que devo fazer?
A descamação provavelmente deve ter outras causas: micose, insuficiência renal, pulmonar ou problemas de tireoide. Até sabões, cremes e detergentes podem piorar o problema.
A solução: Procurar um dermatologista para receitar exames que indiquem deficiências hormonais ou de vitaminas. Se nada for detectado, vale usar luvas para lavar a louça e manusear produtos de limpeza. Além disso, fique atenta ao modo como a unha reage depois de aplicar certos cremes e sabonetes.

Posso usar colas poderosas, tipo Superbonder, para prender unhas soltas?
Não, de jeito nenhum. Se esmaltes e removedores muitas vezes causam alergias, imagina um produto que nem é testado para essa finalidade?
A solução: Há colas cirúrgicas que podem ser recomendados por médicos e podólogos em alguns casos. De modo geral, basta cortar, lixar e esperar crescer para reverter o problema.

0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Por que as pessoas roem as unhas?



Roer as unhas é um hábito tão universalmente praticado que virou motivo de estudo da ciência. Segundo estudo da Universidade Cornell, nos EUA, roedores convictos representam de 20% a 30% da população mundial - 45% entre adolescentes. Os motivos são tão diversos que não há um consenso entre pesquisadores. Eles vão do nervosismo ao puro prazer.

As consequências também são várias: roer as unhas é prejudicial para os dentes, para a mandíbula e é anti-higiênico. A região abaixo da unha é um depósito de bactérias, como a Escherichia coli, que causa problemas gastrointestinais. A boca também é um lar de bactérias, que podem causar infecções nas unhas.

Nada disso é segredo, porém, e pessoas que têm o costume persistem em mantê-lo ou têm muita dificuldade para deixá-lo, apesar de técnicas elaboradas para evitar o hábito, como esmaltes com gosto ruim. O que, afinal, faz o ato de roer a unha ser tão compulsório? Veja algumas explicações dadas por cientistas:

Conforto
Boa parte das explicações recaem no conforto: se pessoas roem a unha porque estão nervosas, entediadas, frustradas, com fome ou em meio a uma tarefa difícil, elas tendem a buscar conforto no ato. E se sentem melhores por isso. “É relaxante, de certa forma”, disse a psiquiatra Tracy Foose em entrevista ao site “The Verge”. A especialista assumiu também ser roedora de unhas.

O fato de que cutucar as unhas com os dentes traz prazer foi constatado anteriormente por uma pesquisa feita com ratos em 1979. No estudo da Universidade de Michigan (EUA), foi dado endorfina - substância que dá prazer - para os animais, e depois remédios que bloqueavam a ação da substância. Os pesquisadores constataram que os ratos sem a ação da endorfina passavam a roer com mais afinco, sinal de que buscavam o prazer na prática.

Perfeccionismo
Outra pesquisa, da Universidade de Montreal, no Canadá, associa a prática à personalidade das pessoas. Para Kieron O'Connor, psiquiatra da instituição que conduziu o estudo, o comportamento é comumente identificado entre pessoas que fazem grandes planos, pormenorizando detalhes, e acabam se frustrando facilmente quando algo foge ao planejado.

Predisposição genética
Para outros estudiosos do tema, roer as unhas é um hábito hereditário. Um estudo da Weill Cornell Medicine, nos EUA, constatou que um terço dos participantes da pesquisa - todos roedores de unhas - disseram ter parentes com o mesmo hábito. Quando se trata de gêmeos idênticos, há grandes chances de os dois o fazerem.

Em 2012, a Associação de Psiquiatras Americanos incluiu a prática entre os sintomas de transtorno obsessivo-compulsivo. Cutucar a pele e mexer nos cabelos também estão na lista.

Fonte: NEXO
0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr

sábado, 3 de dezembro de 2016

Como ter unhas saudáveis e bonitas?


Com uma oferta de esmaltes tão incrivelmente abundante, que mulher não pensa em fazer as unhas pelo menos uma vez por semana? Este hábito é tão comum que já faz parte da rotina, mas nem por isso ele deve ser feito sem a devida atenção.

Isso significa que cuidar das unhas vai além das visitas semanais à manicure, e depende de uma combinação de fatores, como cortar e lixar corretamente, evitar o uso de produtos com álcool na base e prestar atenção redobrada na hora de tirar a cutícula são essências para que as unhas fiquem, de fato, saudáveis.

“A unha está em contato direto com tudo o que colocamos nas mãos: produtos de limpeza, sujeiras, etc. Muitas vezes esses produtos são corrosivos e ressecam a lâmina. Além disso, pode ser porta de entrada para infecções por bacterias ou fungos. Manter a unha limpa, hidratada e a cutícula saudável evita uma série de alterações da estrutura da unha, além de reforçar a barreira natural contra microorganismos”, explica a Dra. Daniela Leal, da Clínica Leal.

Corte das unhas
Usar os materiais corretos para cortar as unhas é essencial para que elas cresçam de maneira saudáveis e não quebrem sem motivo. Por isso, tenha em mãos um alicate para unhas ou uma tesoura específica para essa finalidade. “O corte deve ser feito de maneira perpendicular à superfície das unhas, para evitar a delaminação, que predispõe à descamação da lâmina. Os pés merecem atenção especial: como as unhas são mais duras, o ideal é que estejam úmidas na hora de cortar – a lâmina se torna mais maleável, evitando o risco de lascar ou quebrar”, explica a profissional.

Uma dica: na hora de cortar as unhas, seja em casa ou no salão, evite contato com o sabão, já que ele desidrata as unhas. Apenas umedecer as unhas com água morna é o suficiente para tornar o corte mais fácil.

Hora de lixar
Apesar da unha quadrada ser uma preferência de muitas mulheres, o ideal, do ponto de vista médico, é mantê-las com os cantos arredondados. Porém, nada de exageros: arredondar demais as laterais facilita a quebra e aumenta o risco de a unha encravar. Outro ponto importante: por mais que a unha pareça ficar mais bonita quando lixamos a superfície, esse hábito pode comprometer e muito a saúde das lâminas, já que afina a sua espessura. O resultado? Enfraquecimento, quebra frequente, formação de lascas, pontos brancos e até onicólise (quando a unha se descolado dedo).

Cutículas: tirar ou não tirar?
Daniela explica que as cutículas protegem a base da unha, ou seja, elas são uma proteção natural desenvolvida pelo corpo. Tirar as cutículas tornam as unhas mais suscetíveis ao aparecimento infecções, como a micose. Mas isso não significa que você precisa deixar as unhas com uma aparência ruim por causa do crescimento das cutículas. Use produtos específicos para amolece-las e empurrá-las delicadamente. “Outra orientação que pode ajudar é que, durante o banho, a própria pessoa pode fazer movimentos circulares com a unha, empurrando a cutícula, o que faz com que ela saia sozinha, sem usar força”.

E os cuidados para tirar o esmalte?
Se as suas unhas ficam ressecadas e quebradiças depois de tirar o esmalte, saiba: o problema está no uso da acetona. É ela que causa essa desidratação e o aspecto ressecado e esbranquiçado das unhas. Na hora de tirar o esmalte, então, é importante apostar em um removedor que não seja a acetona e não tenha álcool na base (procure produtos sem acetato de etila ou acetato de butilo na composição). “Os removedores oleosos são os mais indicados, com álcool cetílico, palmitato cetílico, lanolina e óleo de mamona, por exemplo. Eles formam um filme sobre a unha que diminui a perda de água, mas, em termos de eficácia como removedores, são mais lentos e precisam de mais passadas para retirar todo o esmalte”, explica Daniela.

Fonte: AgoraMT
0

InstagramFacebookTwitterGoogle +Flickr